1970959469580822

 

Contato com empresas de crédito cai em março de 2021

O primeiro trimestre de 2021 ficou marcado pelo fim do auxílio emergencial em meio ao crescimento da segunda onda da pandemia de covid-19 no Brasil. Mesmo com restrições impostas pelo isolamento social, houve queda no total de pessoas que procuraram crédito em março.

Estudo feito através da plataforma Discovery Deep Center, presente em algumas das maiores instituições financeiras do Brasil e do mundo e na maior parte das operações de contact centers do país, levantou a quantidade de clientes e o total de chamadas realizadas com usuários que buscavam alguma modalidade de empréstimo financeiro entre fevereiro e março.

Entre as pessoas que buscaram empréstimo CDC (crédito direto ao consumidor), houve queda de 21% na quantidade de clientes cadastrados na base. A redução no acionamento da carteira foi de 17,4% e o total de tentativas de contato com esses usuários foi 11% menor do que em fevereiro de 2021.


A busca por crédito pessoal, modalidade mais comum de empréstimo, revelou um leve aumento de 0,7% na carteira de clientes entre fevereiro e março. Contudo, houve queda de 29,2% no acionamento dessa base no terceiro mês de 2021, com redução de 26,4% no total de tentativas de ligações.


A negociação e a busca por cartões de crédito registra -11,3% no total de clientes, -12,9% no acionamento da carteira e -32,1% nas tentativas. Já a modalidade P2 (peer-to-peer, em que empresas buscam créditos digitalmente) mostra recuo de 3,8% no total da carteira e menos 3% em seu acionamento, mas aumento de 10,7% nas tentativas.


“Os dados mostram que o acesso ao crédito no Brasil também está em um cenário de retração por conta das incertezas econômicas. A queda na renda e o fim do auxílio emergencial tornam mais difícil para as pessoas buscarem essas soluções neste momento”, explica Gabriel Camargo, CEO da Deep Center.

Posts Em Destaque