1970959469580822

 

Dívidas e COVID-19 Recusas de pagamento aumentam em 50% e inadimplência atribuída à desemprego é 12

Dados da recuperação de crédito de alguns dos principais bancos no Brasil, coletados através da plataforma Discovery da Deep Center que monitora as operações de contact centers, registram um aumento de 50% nas recusas de pagamento após o início da quarentena e uma queda de 37% nas alegações de pagamento, que é quando o contato é feito posteriormente ao pagamento de uma dívida recente. A comparação é entre a média do período anterior e posterior à 18 de março de 2020.

Dentre os motivos para recusa de pagamento, a alegação de desemprego cresceu 1123,59% na comparação. Cresceu também em 19,63% a alegação de descontrole financeiro. Outros motivos tiveram queda, como a alegação de aguardo de recursos de terceiros (-18,00%), alegação de endividamento com terceiros (-16,52%) e atraso de salário (-4,34%).

As recusas de pagamento por motivo de doença / INSS se mantiveram estáveis, com variação de apenas 0,69%.

Posts Em Destaque